Carta pro meu amore

Carta pro meu amore

Oi! Queria dizer tantas coisas que fiquei com medo de me perder nas reflexões e decidi te escrever. Quase dois anos juntos já, né? Como namorados, porque como amigos já vão aí mais de seis. Ainda não é a data certa, mas eu sou aquela pessoa que sempre esquece as datas todas e também aquela que acha lindo fazer as coisas fora de data marcada. Então resolvi que hoje o post era pra você. Mas, ué? Aqui no Mamíferas? Errou de blog? Errei nada…

Porque queria falar de um lado seu que eu não costumo destacar sempre, mas no qual você se sai bem demais. Há dois anos, afinal, além de se aventurar a ser meu namorado, você se aventura também nessa posição por vezes deliciosa, por vezes delicada, que é ser padrasto. E daí durante esse tempo todo você construiu junto com meu filho uma relação muito bonita e muito verdadeira, com a cara de vocês dois. É lindo observar vocês dois e suas diferenças convivendo tão de perto e de um jeito tão legal.

Seu jeito mais tímido e reservado, falando baixo, que primeiro observa e depois interage, e o dele mais expansivo, que já chega “chegando”, falando com todo mundo, dando a cara pra bater. O jeito mais carinhoso e grudento dele, e o seu estilo mais reservado, que se aproxima com mais cautela. É tão legal te ver inesperadamente gargalhando alto e rolando no chão com meu pequeno, ao mesmo tempo que o vejo sentado quietinho no seu colo, enquanto você o ensina uma coisa que o faz ficar com os olhinhos brilhando de curiosidade.

Não é fácil namorar uma mãe. Sair sozinhos é quase um acontecimento. Precisa ser planejado com antecedência, nos mínimos detalhes. Os programas infantis passam a fazer parte da nossa rotina: filmes, peças e festas infantis estão sempre dentro da programação do fim de semana. Temos hora pra voltar pra casa quase sempre. Virae mexe tem que acompanhar sim na brincadeira, principalmente naquelas “de menino”, que a mamãe não manja muito! E o pequenino está sempre “no meio” rsrs… Passeia de mãos dadas no meio de nós dois, senta no meio pra ver televisão, chega a virar piada. Não é pra qualquer um, não. Precisa ser paciente, seguro, maduro e precisa de muito amor e vontade de estar junto. Igualzinho a você!

E quando estamos juntos não é sempre só diversão, né? Tem broncas, tem desentendimentos, tem choros, tem doencinhas de criança, tem manha. Não foi simples pra mim que sempre tomei todas as decisões sozinha de repente ter alguém comigo que realmente desejava participar e se envolver nos assuntos do Samuel. Tive que me acostumar, parar de intermediar demais, e você foi ótimo me mostrando que se eu queria que você fosse mesmo o padrasto dele, precisava te deixar fazer as coisas do seu jeito de vez em quando. E deu tão certo!

Tem também o lado mamífero da coisa, né? Um mundo todo novo cheio de coisas diferentes do lugar-comum, cheio de questionamentos, de novidades, um turbilhão de informações que fazem parte de mim de um jeito tão forte que não tem mais como se desligar. Só você sabe o quanto cair de pára quedas nesse mundo pode ser estranho, mas queria te dizer que você tem sobrevivido bem, viu? Tem futuro como mamífero, rs… Daremos tempo ao tempo… 🙂

Hoje a tarde, enquanto observava vocês dois jogando animados uma partida de futebol de botão, fiquei pensando no quanto tive sorte. Porque agreguei você e sua família querida na minha vida e na vida do Samuel. Porque trouxe pra ele a oportunidade de conviver com você, e por tabela, trouxe pra você a alegria diária que é conviver com ele.

Eu seeeeei que você detesta quando eu faço essas declarações públicas. Relaxa, não precisa dizer absolutamente nada. Só saiba que você é o melhor namorado do mundo e o melhor padrasto que o Samuel poderia ter. Espero que outras mães autônomas como eu possam ter a sorte de ter alguém tão especial ao lado delas. Eu te amo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *